quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Imprensa na gaiola

Chegam rumores à Redação deste Semanário (Jornal da Cidade) de que pessoa insatisfeita com o conteúdo da “Frase da Semana”, publicada há algum tempo, pretende mover ação judicial contra o JC. Aliás, desde a semana seguinte à publicação, chegam esses rumores. Interessante observar que vêm de forma orquestrada e indireta.
Bem, primeiramente, vale esclarecer que a Frase da Semana tem autoria; segundo, ela foi publicada de acordo com as regras de edição, ou seja, à luz do contexto gerador dela. Noutras palavras, em sintonia com o pleno interesse jornalístico, de pleno conhecimento e consentimento do autor da frase. Caso tenha causado mal estar, infelizmente esse é o ônus da vida pública. Quem não quer ser incomodado, reserve-se o direito de uma vida privada.
Entende-se que esses rumores, pela insistência, soam como tentativas de intimidação ao exercício da imprensa. Reproduz-se o velho esquema de um Brasil sombrio, mais afinado às formas ditatoriais e à truculência tirânica do poder sobre àqueles que ousam contribuir para o aperfeiçoamento das instituições democráticas.
O que seria a democracia sem a imprensa livre e independente? Claro, preferem uma imprensa que se contente com verbas publicitárias e que, de forma servil, se coloque como a fala enviesada do trono. Certamente querem que a imprensa continue sendo o espelho d‘água de suas imagens caricatas à semelhança de Narciso da mitologia grega. Em vez da seriedade, preferem receitas culinárias à moda do triste período da Ditadura Militar.
Por fim, esclarece que, ao veicular a frase, não foi intenção deste macular ou ofender esse ou aquele, apenas oferecer elementos para que se entendam as relações de poder no interior da malha social e econômica de nosso município. É o mínimo que se espera de uma imprensa que quer ser instrumento de cidadania na comunidade. Qualquer tentativa de colocá-la na gaiola pode representar práticas dissimuladas de intimidação e aviltamento dos valores democráticos. O Brasil está mudando, ainda que vagarosamente, é bom lembrar disso. Precisamos mudar também...

4 comentários:

Bruno Pinto Soares disse...

Caro Rubens,

Solidarizo-me com sua causa e acredito que seu jornal está no caminho certo. Entendo que a ética e o profissionalismo façam parte de sua linha editorial e que, de maneira alguma, o JC deva ceder aos ímpetos de autoritarismo que custam em desaparecer de nossa sociedade.

Temos que zelar pela liberdade de opinião e mostrar que a lei da mordaça foi apenas um triste episódio de nossa História.

Quando vc diz: 'Quem não quer ser incomodado, reserve-se o direito de uma vida privada', está fazendo uma colocação extremamente importante e que deveria ser seguida por muitos de nossa cidade, até mesmo alguns que por aqui passam...

Eu que já fui chamada de 'Diabo', em púlpito local, sei do que estou falando. Esse é o ônus de ter opinião e ter coragem de professá-la.

fausto disse...

Parabéns Rubens. Você segue um padrão diferente dos demais jornais, tem a parte opinativa como grande sustentadora da proposta, é claro que a opinião visa sempre o seu interesse, mas, você não vai criar "provas" contra si. O jornal é muito bom, as vezes tendencioso, as vezes engraçado, porém, é realista.
Viva a democracia.

serginhofotos disse...

Pais sem imprensa LIVRE no mundo Globalizado de hoje não chega a lugar nenhum. Se o Brasil quiser participar deste mundo tem que ter LIBERDADE...LIBERDADE e DEMOCRACIA para TODOS. PARABÈNS BRUBO.

Rubens Galdino da Silva disse...

Bruno, Sérgio e Fausto, agradeço a participação e os comentários. Abraços, Rubens