quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Nietzsche e a campanha eleitoral

Nietzsche tem uma tese que bem retrata o momento que vivemos. Segundo o filósofo, a vida apresenta situações semelhantes à da criança que pela primeira vez está na praia, e ri e pula de alegria quando as ondas trazem as conchas coloridas para a areia, e chora de tristeza quando as ondas levam as conchas de volta para o mar.
Talvez seja por isso que quando recebi a notícia de que haveria só dois candidatos a prefeito na cidade, por alguns instantes, fiquei como a criança que pela primeira vez vai à praia. Explico.
No resultado das convenções parecia estar as conchas coloridas que as ondas trazem do mar. Com dois candidatos a campanha não terá cartas anônimas, baixeza que no passado entristeceu muita gente, inclusive quem de vez em quando emite opinião em artigos de jornal.
No entanto, depois percebi que as conchas coloridas iam desaparecendo com minhas divagações. Se por um lado os dois candidatos não vão manchar suas biografias com difamação, por outro, o processo eleitoral seria diferente com mais pessoas na disputa. Os eleitores teriam novas opções e os candidatos a vereador não precisariam se humilhar na busca de “apoio” pra suas campanhas.
Aí comecei a pensar também nos “especialistas” da calada da noite, que sabem entregar cestas básicas, cartas anônimas e outras coisas do gênero como ninguém. O que será dessa gente? Quem vai pagar suas contas de água e luz, seu gás e principalmente seus churrascos e suas cervejadas? Confesso que fiquei com pena dos pobrezinhos...
Seguindo esse raciocínio, outras questões que merecem ser respondidas apareceram. Como estaria o ânimo dos “marqueteiros” que nessa época costumam ganhar um dinheirinho vendendo sua “eficiente” assessoria aos candidatos mais abastados? Será que eles ficaram felizes com a conjuntura? Não tenho essas respostas, mas bem feito para eles...
Resumindo, não sei se os eleitores vão concordar comigo, mas a única coisa que posso dizer desse processo eleitoral é que está tudo bom e ao mesmo tempo está tudo ruim. E que Nietzsche vá se danar com suas conchinhas coloridas!
Obs: Conheci a tese do filósofo alemão por meio de um excelente material de sala de aula de meu mestre. Aliás, aquele de quem sou discípulo já está enjoado dos artigos estilo fim-do-mundo (que exageram na argumentação a ponto de parecer que o mundo vai acabar), surgidos na imprensa local estes dias.

18 comentários:

bruno pinto soares disse...

Caríssimo Londrina,

Fez uma análise da conjuntura eleitoral que não havia pensado. Me partiu o coração pensar o que será desses tantos, que aguardam ansiosamente as eleições municipais começarem...

Entretanto, vejo que essas eleições serão pobres de propostas. Por enquanto só carro de som, uns tapinhas nas costas ali, um cafezinho acolá, e olhe lá. rs

Onde estão as discussões? Os projetos? Será que a corrida já foi ganha no dia 30 de junho?

abraço

Anônimo disse...

Bruno e Londrina....
CONCORDO COM A TEORIA DO BRUNO DE QUE A ELEIÇÃO JÁ ESTÁ CERTA.... O QUE ANDO OUVINDO PELAS ESQUINAS E CAFETERIAS DEIXA BEM CLARO ESSA DEFINIÇÃO. QUANTO AO COLEGA LONDRINA TENHO NOTADO QUE ESTA POLITICA JA DEFINIDA TEM DEIXADO VOCÊ UM TANTO DESMOTIVADO... ESPERAVA DE VOCÊ MENOS ROMANTISMO.... ONDE ESTÁ O CRÍTICO QUE CONHECEMOS? ESPERO ARTIGOS COMO OS QUE ESCREVIA ANTERIORMENTE... ARTIGOS MAIS DINÂMICOS....

daniel disse...

Londrina
seu artigo me levou a pensar a respeito desses pobres marqueteiros... o mundo não foi dos mais justos com eles.... Parabéns pelo artigo, tocou em um ponto das eleições que muitos haviam pensado mas que apenas você teve a coragem de mensionar.

Mauro Cardin disse...

Bom, muito bom seu artigo!

espelho disse...

Adamantina virou MECA, vou deitar de joelhos e abaixar minha cabeça em homenagem e honra à prefeitura.
Pelo que consta, são santos. Não fazem nenhuma baixaria, nunca fizeram, ganharam aqui e acolá, fez isso ou aquilo por puro esforço. Certeza que não distribuiram nada por aí, nem lançaram boatos...
APARECIDA? Nunca Mais.
Os devotos vão pagar promessa aqui!
Vai dar mais lucro que a FAI e vamos perpetuar o mandato por 20 anos.
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

oi mauro.
pq vc num iscreve mais artigos sinto falta de ler o q vc iscrevi..

Mateus Tiveron da Costa disse...

Não sei qual é mais deprimente: aquele que acredita que eleição se ganha por ser "celebridade" local ou com apertos de mão. Ou se é aquele que vota acreditando nesse tipo de campanha eleitoral.

Alguém aqui conhece Lionel Hutz?

Londrina disse...

Caros amigos.
Independente da análise, agradeço todos os comentários, pois se existe uma coisa que devemos respeitar em um debate, essa coisa se chama diversidade de idéias. Falando nisso, será que não está faltando um toque feminino nas discussões? Cadê as mulheres? E você meu amigo Fábio Ortega, por que sumiu? Estamos com saudades.
Abraços.

Bruno Pinto Soares disse...

Pensando bem... tem marqueteiro que deve estar dando pulos de alegria por que alguns não saíram candidatos.

Tem uns aqui na 'cidade jóia' que nem o Duda Mendonça dava conta! rs

Tiago Sichieri disse...

Engraçado como é facil atirar pedras em todos os "marqueteiros"... venho aqui em defesa dos profissionais de comunicação sérios que ganham sim para trabalhar na campanha, mas fazem um trabalho justo e agregam "valor" à campanha do candidato para quem trabalham.

Vale a pena olhar por este ponto também, não acham? O que há de errado em tornar a campanha "esteticamente mais interessante" à popoulação??

Dó mesmo - e concordo plenamente com o Londrina nisso, daqueles que buscam migalhas de candidatos mediocres que buscam somente se promover às custas de churrascos, contas pagas aqui e ali, enfim... estes só me resta ter dó...

Mauro Cardin disse...

O profissional de marketing é fundamental para as campanhas aqui também em Adamantina,sim, inclusive nesta eleição. Já trabalhei com o Tiago e o achei ótimo, especialmente como designer. Gostei demais do trabalho dele.
Felizmente, com as faculdades, hoje começamos a ter gente boa nessa área.
E parece mentira que das reuniões de correligionários apaixonados, entre murros na mesa, gritos histéricos, brigas e tolices mil, saia um plano de governo. E sai, porque o especialista em texto (que é um marqueteiro) está lá, anotando as idéias para depois organizá-las, dar um sentido a cada uma e ordená-las num conjunto só, que será o plano de governo da coligação, onde todos os (mesmos) correligionários do candidato e o próprio candidato vão beber para se apresentar diante da população. Abraço a todos.

Mauro Cardin disse...

Londrina, dei uma olhadinha agora no "Ninguém consegue deter a primavera" (bons tempos, bom livro!), e li lá "Capa: Tiago Sichieri e Igor Pedrini". Assim como vc fez questão de um bom revisor (Rs), parece que também não abriu mão de um bom profissional para a capa... Abração de amigo velho.

Londrina disse...

Caro Mestre.
Serei eternamente grato a todos que contribuiram para que "Ninguém Consegue Deter a Primavera" se tornasse realidade. Nunca esquecerei da equipe responsável pela publicação de um sonho de décadas: Mauro Cardin, Sabrina Turrina, Maria C. Lopes, Everton Santos, Prof Alfredo, Tiago Sichieri, Igor Pedrini, Anderson Piovesan e outros valorosos colaboradores. Confesso que sinto saudades daqueles tempos em que nos envolvemos, cada qual atuando na sua área, em busca de um único objetivo.
Abraços.

Mauro Cardin disse...

Grande Londrina! Mestre, só se for daqueles que aprendem junto com o discípulo...

Everton Santos disse...

Grande Londrina!

Mais uma vez concordo com você. Quando as pessoas trabalham juntas por um objetivo, tudo muda e, realmente, "ninguém consegue deter a primavera", mas precisamos voltar a pensar coletivamente...

Adamantina merece isso! O blog é uma ferramenta, mesmo que muitos não acreditem, mas ainda é preciso mais...

Ah! Onde estão as mulheres escritoras/pensantes? Pelo que sei temos muitas em Adamantina....

Abraços

Jessica Maria disse...

Olá Amigo Londrina, só pra variar ADOREI suas palavras, ainda não tive tempo de analisar suas demais publicações, todavia mais uma vez você mandou seu recado hehehe.... Amigo Londrina a palavra é uma arma que você domina bem...
Um grande abraço
Ah tenho uma colocação a fazer, tudo tem um lado bom, não desempenhar algumas funções nessas eleições pode ser o começo de uma nova vida para muitos dos coitadinhos... quem sabe agora eles não empurram suas vaquinhas no precipicio e tentam desempenhar funções mais gloriosas? Distribuir mudas de arvores me soa menos paternalista você não acha? hehehehe, to falando de mais bjão té +

Paulo disse...

Amigo Londrina.
Gostei de seu artigo, somente posso aconselhá-lo a ter paciência.
A paciência é uma virtude tão valiosa que todas as religiões nos oferecem exemplos a seguir.
Para se ter uma idéia da importância da paciência, basta considerar que é ela uma das sete virtudes cardinais ou absolutas. As outras seis virtudes são: simplicidade, generosidade, abstinência, diligência, caridade e humildade.
Além de ser uma virtude, a paciência se constitui, também, em um dever ético de todo ser humano, pois não há quem não necessite de compaixão, tolerância, compreensão e auxílio.
Assim, devemos ter compaixão, tolerância e compreensão para com os munícipes e a classe política de nossa querida Adamantina.
Abraços
Paulo Purificação

Londrina disse...

Jéssica, Everton e Paulo
Obrigado pelos comentários, vocês são aqueles amigos que a gente deve carregar sempre do lado esquerdo do peito.
Abraços.